domingo, 1 de junho de 2014

As vestes da mulher virtuosa



  Não há absolutamente nada de errado quando a mulher se maquia, arruma o cabelo com adereços, corta, pinta, enfim, faz tudo o que acredita ser o melhor para ter uma aparência bonita. Aliás, é dever de toda mulher, especialmente se ela é de Deus, procurar ter a melhor aparência possível, para se apresentar na igreja ou em qualquer outro lugar. Isto, entanto, não deve exceder os limites para que não se vista e se maquie de tal forma que atraia a atenção de todos.  Todo zelo que tiver com o seu exterior deve ser observado com máxima discrição e simplicidade. As vestimentas sensuais e eróticas são condenáveis a Palavra de Deus, uma vez que excedem o bom senso, além de fazerem transparecer o caráter totalmente inverso ao de Deus.

 As mulheres que deixam extravasar sua sensualidade, quer através do seu comportamento, quer por suas vestimentas, agem dessa forma porque têm um espírito demoníaco, chamado pomba-gira. Por acaso não procedem assim às prostitutas, quando querem atrair clientes? Quando a mulher é virtuosa ela é também sábia. Na sua sabedoria, preocupa-se com a sua aparência interior, porque essa naturalmente irá se refletir no seu exterior. Ela cuida, acima de tudo, do seu coração e guarda a sua língua de “jogar conversa fora”, manifestando assim discrição. Quando fala nunca deixa transparecer o desejo de sua voz venha encobrir a dos demais. Quando o coração dela está cheio da presença de Deus, então ele se alegra, e a sua alegria faz embelezar o rosto: “O coração aformoseia o rosto, mas com a tristeza do coração o espírito se abate.” (Provérbios 15.13).

Nenhum comentário:

Postar um comentário