sexta-feira, 27 de junho de 2014

18º Dia - Jejum de Jesus


  A memorização das Escrituras abre as portas para a meditação. Quando meditamos profundamente na Bíblia, começamos a dar frutos.
  A memorização das escrituras abre as portas para a meditação. Quando meditamos profundamente na Bíblia, começamos a dar frutos. Mas antes que isso possa acontecer, é preciso que tenhamos as escrituras em nossos corações. É necessário que suas palavras estejam depositadas de maneira segura dentro de nós, como em um cofre.
  A meditação nas escrituras funciona mais ou menos como uma vaca ruminando. Naturalmente, alimentar-se da Palavra de Deus é o primeiro passo; devemos interiorizar as palavras contidas na Bíblia. Em seguida, assim como a vaca traz o alimento de volta à sua boca para ruminá-lo, devemos mastigar as verdades bíblicas minuciosamente; ou seja, devemos digerir as palavras, “ruminando-as” em nossas mentes e corações.
  É importante lembrarmos que digerir a Palavra é mais importante do que ingeri-la; a comida não nos beneficia em nada até que seja convertida em energia. O alimento digerido fornece as necessidades do nosso corpo através do sangue, e assim, pode-se dizer que ele proporciona a vida em si. Memorizar a Palavra de Deus é como ingerir o alimento, enquanto o meditar é como digeri-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário