quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Estágio no deserto


Se para alcançar a salvação, a passagem pelo deserto já é obrigatória, quanto mais para se fazer a obra de Deus. Todos os nascidos de Deus são obrigados a fazer um estágio no deserto. Foi assim com os patriarcas, com os profetas, com o Senhor Jesus e Seus apóstolos e, ao longo da história da fé cristã, tem sido assim com todos os seus heróis.  Não há como evitá-lo. Às vezes o cristão é levado ao deserto pelos seus erros: seus pecados o isola da presença de Deus até o momento em que busca e acha perdão. Davi é um desses exemplos. Outras vezes, ele é levado ao deserto por causa da sua fé, como foi o caso do profeta Elias quando fugiu de Jezabel, mulher do rei Acabe, para i deserto. O Senhor Jesus, por exemplo, foi levado ao deserto pelo Espírito Santo para ser tentado pelo diabo. É muito provável que Deus quisesse provar aos Seus filhos que é possível vencer o diabo, mesmo estando no deserto. As condições desfavoráveis em que o Senhor se achava não O impediram de vencê-lo; e nem a solidão, a fome e as tentações O dobraram diante dele. O que significa o deserto, qual a sua função e por que Deus permite que sejamos levados para lá?
O deserto é um lugar ermo, desabitado e carente de vegetação. Representa a solidão e, o que é pior, o aparente abandono por parte de Deus. Sua função é variada/; pode servir para se impor uma lição de humilhação, como no caso de Miriã, ou para provar nossa fé e preparar-nos melhor para o futuro.
Também serve para ensinar a depender da fé ao invés de nós mesmos. Seja lá por que motivo for o deserto sempre produz resultados positivos para aqueles que suportam suas provações. Não para os desertores, pois estes fugiram do deserto, provam a si mesmos que foram chamados, mas não escolhidos por Deus.
Certamente, quando Deus permite que passemos pelos desertos da via, é porque Ele tem um plano especifico para nós. O objetivo do deserto é preparar-nos para servi-Lo dentro desse plano. Nenhum soldado estará apto para servir sua nação enquanto não for preparado para isso. São as dificuldades do deserto que forma o caráter de uma verdadeira mulher ou homem de Deus. E a experiência tem mostrado que quanto maiores forem as provações no deserto de maior utilidade será.
Isso aconteceu com Moisés: durante quarenta anos viveu todas as dificuldades do deserto. O mesmo em que ele mais tarde viria atravessar liderando três milhões de pessoas. Para que pudesse ajudá-las, ele tinha que ter tido experiência daquela área É na passagem pelo deserto que se aprende a praticar a fé. Quando Paulo fala:
“ Mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência esperança.” (Romanos 5.3,4)

Ele está justamente focalizando o deserto como uma escola da fé. O deserto é a tribulação que produz perseverança. Experiência e finalmente, esperança. Como poderia aprender tudo isso sem ter passado pelo deserto? E se o Senhor Jesus, “embora sendo Filho aprendeu a obediência pelas cousas que sofreu...” (Hebreus 5.8), imagine nós os Seus seguidores?!

Um comentário:

  1. Por isso precisamos estar sempre em comunhão com Deus para termos forças suficiente para passarmos pelo deserto;Se o próprio filho do Deus vivo passou por isso porque não passariamos nós ja que dizemos ser filhos de Deus e crer nas suas promessas!!

    ResponderExcluir