quarta-feira, 19 de junho de 2013

Lutas, desertos, perseguições, provações...



Leia antes: 2 Coríntios 1:1-24

Consolação;  significa:
Colocar-se ao lado de uma pessoa, encorajando-a e ajudando-a em tempos de aflição. Deus desempenha incomparavelmente esse papel, pois Ele envia aos seus filhos o Espirito Santo, que é chamado de "Consolador". O apostolo aprendeu, nas suas muitas aflições, que nenhum sofrimento, por severo que seja, poderá separar o cristão dos cuidados e da compaixão de Deus.
Deus as vezes, permite que haja aflições em nossa vida, afim de que, tendo experimentado Seu consolo, possamos também consolar outros na suas aflições.
Do começo ao fim desta epístola, Paulo ressalta que a vida cristã envolve sofrimento (Que deve ser considerado como uma participação ou uma comunhão com Cristo no sofrimento) e a consolação de Cristo.
Nesta era, portanto, o Senhor sofre, com o seu povo e em favor do Seu povo devido à tragedia do pecado do mundo. Nosso sofrimento não é primeiramente motivado por desobediência, mas constantemente causado pelo diabo, pelo mundo e pelos falsos cristãos, a medida que participamos da causa de Deus.
A pessoa fiel, vivendo em obediência e comunhão com Cristo e amado por Ele, ainda assim pode passar por experiencias envolvendo perigo, medo, ansiedade, desespero e desesperança; circunstancias essas que nos oprime além da nossa capacidade humana de resistir.
Quando aflições severas ocorrem em nossa vida, não devemos pensar que Deus nos abandonou ou deixou de nos amar. Ao vez disso, devemos lembrar-nos de que essas mesmíssimas coisas que aconteceram aos infiéis servos de Deus, nos tempos do NT.
Deus permite essas provações desalentadoras afim de que Cristo se aproxime de nós e a medida que olhamos para Ele com fé, leve-nos a vitoria completa.


Continua amanhã a segunda parte da epístola de Corintios, do v. 11 ao 24.

Nenhum comentário:

Postar um comentário