quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Enquanto o amor não vem


Indo contra a modernidade, alguns solteiros abominam o "ficar" e dizem o que fazem enquanto esperam pelo amor de suas vidas

Enquanto a sociedade apregoa que o que está na moda é "ficar" e de preferência com várias pessoas ao mesmo tempo, sem criar nenhum tipo de vínculo, há aqueles, como dos relatos abaixo, que estão em busca de um compromisso e contam como lidam com a solidão e o que fazem para manter a autoestima elevada enquanto o amor não vem.

O que fazer enquanto se espera pelo amor de sua vida?

“Muita gente diz que o namoro convencional foi deixado de lado, mas estou em busca de um relacionamento sério. Quero namorar, noivar, casar, tudo como manda o figurino”, diz L.S., de 39 anos.

Ela conta que está divorciada há 5 anos e ficou eufórica quando ouviu os primeiros acordes da liberdade. “Sofri muito com o término do meu casamento e achei que seria fácil encontrar alguém. Mas só colecionei frustrações. Me envolvi com várias pessoas e foi uma decepção atrás da outra. Estava me sentindo carente, solitária e me envolvia sem ao menos conhecer a pessoa e pulava etapas. Há 6 meses decidi que ficaria um tempo sozinha e passei a cuidar mais da minha vida espiritual, me fortalecer emocionalmente. Muitos foram contra a minha decisão, mas me mantive firme. Hoje, estou mais forte em todos os sentidos, tenho mudado bastante e quando tiver um novo relacionamento sei que será diferente. Aprendi que esse negócio de ficar primeiro para ver se tem a chamada química, nem pensar, pois quem pratica o “ficar”, fica só no final.

Enquanto espero por um amor, tenho feito ginástica, cursos, cuidado de mim em todos os sentidos, para que quando a pessoa que Deus tem preparada para mim chegar, me encontre linda, feliz e abençoada. Por ter entregado a minha vida na mão de Deus e tomado essa decisão de esperar, já me livrei de várias roubadas. Em outras ocasiões eu teria deixado as minhas emoções me dominarem. Mas estou muito bem, quero encontrar uma pessoa especial. E o meu conselho para quem está sozinha é: se ame, esteja sempre sorrindo, feliz, afinal ninguém vai querer namorar com uma pessoa que vive triste e cheia de problemas. Se cuide em todos os sentidos, enquanto a pessoa amada não chega e não retarde o encontro com a pessoa que Deus preparou para você se envolvendo com qualquer um ”.

Queremos um amor antigo, mas temos vergonha de admitir

Depois de vários relacionamentos frustrados a atriz Suellen Slindvain, de 28 anos, diz que resolveu ficar sozinha e acredita que a pessoa tem que estar bem estruturada para se manter “sozinha”, principalmente no mundo atual, onde os relacionamentos estão sendo descartáveis. “Por mais dolorido que pareça, estar sozinha só me fez crescer e me conhecer melhor. Cansei de ficar por ficar, porque depois só ficava mesmo a solidão e expectativas não correspondidas. Passei a ter um ideal. E quando temos um ideal não nos envolvemos com qualquer um. Eu quero um relacionamento sério, mas isso se torna a cada dia mais difícil, porque, com a evolução do mundo, as pessoas se esqueceram de separar as coisas dentro coração. Não precisamos ser duros com nós mesmos, para mostrar independência, força ou algo do tipo.

Já ouvi por várias vezes pessoas dizerem que casar é antigo, que desejar ficar velhinho ao lado de um grande amor está fora dos padrões. Esses novos conceitos têm confundido demais as pessoas e nos tornado cada dia mais carentes de afeto verdadeiro e com medos que nunca deveriam existir. Afinal, cadê os seres evoluídos em que nos tornamos ? Cadê as pessoas independentes e de personalidades bem formadas? Na verdade, ainda acreditamos no amor e queremos ser iguais aos nossos avós, que até hoje passeiam pelo parque de mãos dadas. Queremos sim um amor antigo, igual ao dos nossos avós, mas temos vergonha de admitir”.

Amar e ser amado

“Essa bandeira da liberdade que todos nós hasteamos é só para não nos sentirmos excluídos ou sermos tachados de antiquados”, diz Marcelo, de 30 anos, que prefere não ter o sobrenome revelado. Ele conta que depois que terminou um relacionamento de 5 anos preferiu curtir a solteirice. “No início foi muito bom. Cada dia ficava com uma garota diferente, mas um dia me senti extremamente sozinho e pensei: ‘O que estou fazendo com a minha vida?’

Sei que as mulheres reclamam muito dos homens, mas muitos homens também querem um relacionamento sério. E é isso também que quero para a minha vida e estou disposto a esperar e agir diferente nos próximos relacionamentos, com o propósito de construir uma linda história de amor, uma família. Para tanto, mudei o meu roteiro. Nada mais de baladas, de ficar até tarde na rua. Meus amigos até questionaram se eu estava bem. Por que sair a noite e não ficar com alguém? Hoje, mais do que quantidade, tenho optado por qualidade. Dei um tempo para mim mesmo, e tenho pedido a Deus que me mande uma pessoa especial. E só vou namorar quando tiver a certeza de que aquela é a pessoa certa para mim”, finaliza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário