sexta-feira, 21 de outubro de 2011

As palavras e sua influência no comportamento




É verdade quando dizem que a palavra opera milagres ou é capaz de destruir mais que uma pedra. Uma palavra mal colocada faz um estrago terrível e muitas vezes reverter seus estragos é impossível.

Não importa o quanto sejamos fortes ou frágeis emocionalmente, somos sempre afetados pelo que ouvimos dos outros, mesmo que seja para o bem ou para o mal a palavra influencia com menor ou maior intensidade.

Quantas vezes modificamos nossas ações depois de ler ou escutar de alguém algo que realmente nos tocou a ponto de nos transformar?

Quantas vezes sofremos com palavras raivosas dirigidas a nós que nos abalaram tanto que modificou todo o nosso humor?

Quantas vezes conseguimos melhorar um ânimo de alguém através de simples palavras?

Quantas vezes nos arrependemos de falar o que pensamos devido a impressão ruim que causamos ou porque foi dito em momentos insanos de nervoso e raiva?

As palavras têm realmente poder, ou não, porque na realidade esta capacidade de nos tocar e nos transformar só é possível se estamos receptivos a elas, ou seja, o efeito que elas nos causam também está ligado ao nosso estado de espírito, se estamos bem receberemos bem se não estamos ou se piora ou se melhora o estado que se encontra.

Apesar de sabermos os efeitos maléficos e benéficos que as palavras causam em nós e nos outros, ainda assim não deixamos de nos influenciar por elas. Pois a pessoa que somos hoje é o reflexo do que vivemos, não temos como estar ilesos disso.

O poder do desabafo é aliviar as tensões, porque se despeja tudo que está engasgado, o chato é quando não conseguimos escolher o melhor modo de dizer o que precisa ser dito, visto que estamos tão envolvidos de tantos sentimentos que ficamos meio cegos e tontos, sem discernir o que é bom ou não dizer.

Por outro lado, não falar nada se valendo da omissão é outra opção perigosa em determinadas situações, visto que a verdade quando descoberta pode ser benéfica para alguns.

Neste momento é necessário distinguir a omissão da mentira, visto que para mim são coisas bem distintas, pois omitir é não falar a verdade e mentir é falsear a verdade.

Todos nós queremos usar as palavras de modo mais coerente possível, entretanto, nem sempre é possível, em muitas ocasiões a vida exige que tenhamos posturas não convencionais e inesperadas.

Precisamos ter um duplo cuidado: o de falar e o de ouvir. O de falar porque podemos influenciar pessoas de modo positivo ou negativo e o do ouvir porque não podemos acreditar em tudo que lemos e ouvimos, devemos cuidar para não sermos tão vulneráveis e influenciáveis e ao mesmo tempo ser receptivo as palavras que possam ser boas.

A palavra tem o poder influenciador e transformador do comportamento, use-a com moderação quando fores tratar de assuntos sérios e com leveza e sorrisos quando fores cativar alguém através delas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário